Pesquisar
ESTÍMULO À EDUCAÇÃO E CONSCIÊNCIA SOCIOAMBIENTAL

AGRINHO – Em solenidade, Senar Goiás e Faeg divulgam os vencedores do Agrinho 2016. Programa já tem tema definido para 2017


2/1/2017

Divididos em categorias, premiados receberam medalhas e certificados de participação no programa
Saldo positivo. Esse foi o resultado da edição 2016 do programa Agrinho, que terminou no dia 14 de dezembro, em Goiânia (GO), com a solenidade de premiação dos vencedores em diferentes categorias. O programa recebeu 8.961 trabalhos, envolvendo 150 mil alunos e 12 mil professores de escolas públicas de 206 municípios goianos. A premiação foi a fase final do Agrinho, que é desenvolvido em várias etapas ao longo do ano pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar-Goiás), em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg). A solenidade reuniu 312 finalistas do concurso, entre estudantes e professores, além de autoridades, como 0 secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), Vilmar Rocha, prefeitos municipais, familiares dos premiados, representantes de Sindicatos Rurais (SRs), parceiros e demais públicos.
Foram reconhecidos trabalhos realizados em quatro categorias – Desenho, Redação, Escola Agrinho e Agrinho Jovem –, que abordaram o tema “Agua: preservação e uso no campo e na cidade”.
A premiação também foi dividida de acordo com as 12 regionais do Senar-Goiás – Metropolitana, Centro-Leste, Centro Norte, Norte, Médio Norte, Nordeste, Leste, Sul, Sudoeste, Oeste, Extremo Sudoeste e Vale do Araguaia. Entre os prêmios distribuídos, de acordo com as categorias, estavam bicicletas, aparelhos celulares, viagens e quantias em dinheiro. Para 2017, a novidade é a entrega de dois veículos como prêmios principais do programa.

Programação

A cantora mirim Bia Torres (foto abaixo), que ficou conhecida por ter participado do programa The Voice Kids, da Rede Globo, fez a abertura da solenidade de premiação. Ela interpretou canções nacionais famosas e também cantou o hino nacional brasileiro durante a cerimônia. Após a apresentação, o presidente da Faeg e do Conselho Administrativo do Senar Goiás, José Mário Schreiner, deu as boas-vindas aos participantes da solenidade e destacou a importância do Agrinho, que vem evoluindo significativamente nos últimos anos, mobilizando cada vez mais cidades do Estado em busca de um único objetivo, a educação.



“A cada ano vocês me impressionam. São trabalhos que transformam vidas”, disse Schreiner. Emocionado, o presidente da Faeg acrescentou ainda que se sente orgulhoso de fazer parte deste projeto, que teve início em Goiás, em 2008. “Corno pode um programa que, a cada ano, se supera, melhora, ganha qualidade e me alegra de uma forma que eu não achava possível? Esse é o Agrinho, que bate recordes e cresce grandiosamente”, destacou. José Mário aproveitou a oportunidade e lançou o tema do programa para 2017. “No ano que vem, o Agrinho terá como tema Fontes de Energia Renovável. Com isso, queremos avançar ainda mais”,
enfatizou.



Em relação ao foco do programa, o presidente também ratificou a importância dos professores na formação de crianças e jovens de Goiás. “Vocês têm uma responsabilidade muito grande para com a sociedade, já que formam nossas crianças e, consequentemente, nosso futuro. Formam nossos futuros governantes. O Agrinho nasceu com essa perspectiva: – trabalhar nas escolas formas de criar uma consciência cidadã nos pequenos, mudando consequentemente a visão dos pais”, disse.
Representando a Dow AgroScience no evento, que foi um dos parceiros do programa em 2016, Jair Maggioni afirmou que o Agrinho exerce um papel importante de incentivar a atuação sustentável e orientar o público, principalmente infantil, sobre a relevância dos aspectos ambientais e sociais. “O programa leva informação para a sociedade, que pode contribuir para manter a sustentabilidade do setor. A cada ano nos sentimos felizes de poder apoiar um projeto como esse e temos percebido a qualidade dos trabalhos desenvolvidos e premiados. Toda a orientação e o resultado dos trabalhos ajudam a formar cidadãos mais corretos”, destacou. Durante a solenidade, as empresas e instituições parceiras do Agrinho – Corumbá Concessões S.A, Dow AgroSciences, Vale Fertilizantes, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Goiás) e o Banco do Brasil – receberam troféu como forma de reconhecimento pelo apoio dado ao programa.

Premiados

A estudante Giovanna Oliveira de Moura (foto abaixo lado direito), de 15 anos, não continha a alegria por ser uma das premiadas do concurso. Elá, que está no 9o ano do ensino fundamental, na Escola Municipal Amilton Mamede Rezende, em Bom Jesus de Goiás, participou o programa pela primeira vez em 2016. “Conheci o Agrinho por meio de uma professora, que nos repassou orientações. Logo no início, quando ficamos sabendo do tema, passamos a pesquisar o assunto, estudar e entender o que causava a falta de água.
Por isso, resolvi escrever a redação sobre as causas da escassez de água e o que fazer para evitar isso”, relatou Giovanna. Para a professora Durcelene Rodrigues, que orientou a estudante, os temas definidos pelo Agrinho contribuem para que os educadores possam estimular os alunos a pesquisar, conhecer mais das áreas social e ambiental e formar cidadãos mais conscientes de seu papel na sociedade. “Apresentamos documentários sobre o tema água aos estudantes e até promovemos o desfile de aniversário da cidade com essa temática. Todos abraçaram o projeto. Se formos avaliá-lo, com certeza o programa leva nota 10”, pontuou.



Outro estudante que participou pela primeira vez do Agrinho é Marcos Antônio de Oliveira Filho, de 14 anos. Aluno do 9º ano da Escola Municipal Arnaldo Setti, de Vila Boa, Marcos ressaltou que houve toda uma mobilização na instituição de ensino para o programa, com orientações sobre o tema do projeto. “Isso nos permitiu fazer toda uma pesquisa, seja em livros ou internet, para conhecer mais sobre o assunto. Com base em toda essa pesquisa, desenvolvi minha redação, que foi premiada neste ano”, reforçou.



Qualidade de vida e economia Para João Vitor de Souza, de 14 anos, estudante do 8o ano do Colégio Estadual Presidente Costa e Silva, em São Luís de Montes Belos, o Agrinho estimula os estudantes a pensar no futuro, de forma a avaliar o que fazer para prezar pela qualidade de vida para as próximas gerações. Vencedor do programa pela segunda vez, João Vitor acrescentou ainda que o tema deste ano proporcionou mudanças na rotina não só dos alunos, mas dos familiares desses estudantes. “Por causa do projeto, passamos a economizar água em casa, por meio do reaproveitamento da chuva. Por tudo isso que o Agrinho oferece, pretendo continuar
a participar por outros anos também”, reforçou.
Já a educadora Rosilene Teixeira, do Colégio Estadual Professora Josefa Barbosa Valente, de Posse, participou pela primeira vez do programa na categoria Escola Agrinho. Ela revelou que desenvolveu na escola ações como Feira de Ciências, além de jardinagem e horta, aproveitando a temática água. “Também promovemos ações de reaproveitamento de água utilizada na merenda. Isso gerou uma economia para o colégio, que será investido em benfeitorias na própria unidade”, destacou.




fonte: Revista Campo Fernando Dantas | fernando.dantas@senar-go.org.br Nayara Pereira | nayara.pereira@f

Marcas da Sustentabilidade